Gentileza urbana: o conceito que é tendência na arquitetura

Você já ouviu falar de gentileza urbana? O termo se refere à ideia de ambientes pensados estrategicamente para favorecer o urbanismo e o paisagismo público, levando em consideração o contexto ao redor e trazendo espaços que conectam. O conceito conversa com o comportamento e anseios da geração Y, os millenials, que estão redefinindo hábitos de consumo, moradia e a ideia de luxo.

Na prática, isso se reflete em obras arquitetônicas que abraçam o todo e agregam valor aos espaços públicos que as rodeiam, seja através da implementação de mais áreas verdes, espaços para livre circulação de pedestres, ou qualquer outra maneira de aprimorar a vivência da comunidade que frequenta aquele entorno.

Grandes cidades já adotaram a gentileza urbana

A ideia já é muito presente em grandes centros urbanos do mundo, com cidades sendo redesenhadas a partir desse conceito:

MEDELLIN – A capital colombiana, por exemplo, chegou a ser eleita Cidade do Ano, em 2014, prêmio da ONG americana Instituto Urban Land e do Wall Street Journal. Entre os critérios principais, estava a inovação na arquitetura urbana. A estratégia implementada na cidade foi baseada em três pilares: implementação de um sistema de transporte público acessível, eficiente e qualificado, serviços públicos de qualidade para toda a população e planejamento urbano e territorial de longo prazo.

BARCELONA – Nesta cidade, o destaque vai para o projeto Supermanzanas, da Agência de Ecologia Urbana de Barcelona (BCNecologia). As Supermanzanas (ou superquadras) foram concebidas a partir de uma ideia de segurança, sustentabilidade e eficiência, pensando em diminuir acidentes de trânsito e melhorar a circulação nas vias a partir da junção de um design urbanístico planejado e novas tecnologias.

NOVA YORK – A iniciativa Design Trust For Public Spaces promove ideias e ações para transformar a paisagem urbana e torná-la mais acolhedora, passando uma sensação de pertencimento às comunidades que ali convivem. Eles atuam como uma incubadora de ideias, sendo responsáveis pela condução de projetos como o que levou a implantação do High Line, por exemplo.

Como isso se aplica em empreendimentos privados?

Vale ressaltar que a gentileza urbana não cabe apenas em locais públicos por definição, é claro. Empreendimentos particulares, como os de moradia, também podem ter esse conceito incorporado no seu planejamento e agregar valor à esses espaços públicos. A HAUT, por exemplo, investiu nessa aplicação a partir da construção de espaços feitos para compartilhar experiências e sensações. É o caso do CO-HAUT, um imóvel compartilhado de luxo no Poço da Panela, pensado para promover de um estilo de vida conectado e coletivo, sem deixar de lado o alto padrão arquitetônico e o design que reflete as novas definições de luxo. Já pensou em morar em um lugar assim? Acesse o site e saiba mais sobre nossa proposta de novo estilo de vida para você na Rua do Chacon.

Ver mais publicações